Top

Prepare seu Negócio Jurídico para Transparência Corporativa

A transparência corporativa é algo que vem sendo buscado por empresas de qualquer segmento. Em um mundo tomado por fake news, vale muito ser transparente nos negócios. E quando essa postura vem da alta direção, toda a organização, inclusive os departamentos jurídicos, assumem a transparência corporativa como algo intrínseco à cultura organizacional.

Mas o que é transparência corporativa e como ela se desdobra? O que deve ser divulgado? Como se tornar transparente. Falamos um pouco sobre o tema neste post. Acompanhe!

O que é Transparência Corporativa?

Transparência Corporativa é uma postura adotada por uma empresa no sentido de divulgar informações relevantes sobre o negócio para todos os stakeholders, principalmente para os funcionários. Organizações que incorporam esse conceito à sua cultura organizacional entende que conhecimento não é algo que deve ser guardado, mas compartilhado. Uma decisão ou estratégia que é informada a todos, com dados relevantes que explicam sua origem e motivo, é aliada da produtividade e do tempo, pense nisso.

Uma faceta muito relevante de um negócio transparente é a participação na tomada de decisão. Quando vários profissionais se unem para pensar em uma solução para o problema, as chances de encontrarem um resultado satisfatório e inovador é grande. Além disso, cria-se um sentimento de comunidade importante para a empresa. E muitos outros benefícios.

Benefícios

Um grande benefício da Transparência Corporativa é o diálogo. Com a divulgação de informações importantes, sejam elas positivas ou negativas, os colaboradores percebem a vontade da empresa em comunicá-los sobre os eventos relevantes, deixando todos cientes das situações. O diálogo é uma ferramenta importante da cultura da pacificação, pois evita conflitos que seriam desnecessários.

Além do diálogo, a transparência corporativa também ajuda na manutenção de talentos nas empresas. Quanto maior a transparência, maior a chance de um profissional se sentir parte de algo, porque participa também da tomada de decisão. Os profissionais vestem a camisa, e recusam ofertas de concorrentes com mais facilidade, inclusive diante de salários maiores. A transparência é, assim, um valor.

Outro benefício é transmitir confiança interna e externamente. Como apontamos, a tomada de decisão distribuída é uma vertente da Transparência Corporativa. E ela faz com que os funcionários saibam o que está acontecendo e como tomar as melhores decisões para cada caso. Além disso, a Transparência Corporativa ocasiona:

  • aumento nas percepções de justiça por parte dos funcionários, que também se sentem mais importantes dentro da empresa;
  • maior envolvimento na administração de uma empresa e no local de trabalho;
  • desenvolvimento da confiança entre membros das equipes e líderes;
  • aumento da felicidade no ambiente de trabalho.

Como a Transparência Corporativa acontece na prática?

Imagine que você é advogado de um grande escritório há 8 anos. São mais de 30 advogados ao todo, com variados tempos de carreira no local. Em uma conversa com um colega, que também tem 8 anos no escritório, você percebe que ele ganha R$ 1 mil a mais. E aí começa a se perguntar o motivo, mas não há, no escritório uma transparência a respeito dos salários. Há, somente, uma noção geral do plano de carreira, que você ficou sabendo quando foi contratado.

Agora se imagine em uma situação semelhante, mas em um escritório que possui como diretriz a Transparência Corporativa. Ele mantém todas as informações salariais transparentes e disponíveis para todos os funcionários. O plano de carreira, inclusive as possibilidades de se tornar um associado e a forma como isso acontece, também é divulgado. Você não se sentirá estranho se um colega ganhar mais, porque terá à sua frente todas as informações necessárias para compreender a situação.

E essa conduta transparente do escritório, automaticamente, abre a possibilidade de diálogo entre você e o gestor. O salário não é um tema-tabu, como ocorre em muitas empresas.

Como se preparar para a Transparência Corporativa?

O primeiro passo é transmitir conhecimento para seus funcionários. Antes de começar a compartilhar informações de maneira transparente, é preciso garantir que seus funcionários tenham o conhecimento necessário para entendê-las corretamente. A transparência radical, sem base de conhecimento adequada, pode até ser prejudicial.

Quer um exemplo? Compartilhar números financeiros, com fluxo de caixa ou declarações de lucros e perdas, sem o contexto correto, pode causar enorme confusão. Antes de divulgar, ensine aos funcionários o básico sobre finanças.

O próximo passo é destrinchar as informações que foram parcialmente divulgadas anteriormente. Verifique os motivos pelos quais elas não foram integralmente compartilhadas e analise se essa conduta foi correta. Se não houver uma boa justificativa, compartilhe.

Tenha em mente que é de suma importância que os dados sejam disponibilizados em tempo real. Fornecer às pessoas as informações corretas no momento certo é a maneira mais adequada de tomar decisões melhores e de forma ágil, resolvendo problemas mais rapidamente. Abuse da tecnologia e adote plataformas para compartilhar dados relevantes e permitir uma fácil colaboração entre funcionários e outras partes interessadas.

Outra medida importante para se preparar para a Transparência Corporativa é tornar seus objetivos e processos visíveis em todo o local de trabalho. Dessa forma, os funcionários ficarão constantemente conscientes da direção e do progresso de seus projetos. Essa visibilidade é muito importante para o fluxo de trabalho, o que também agiliza a tomada de decisões.

Em um escritório de advocacia, por exemplo, quando as equipes estão bem integradas, os resultados são excelentes. O advogado responsável por tentar um acordo com a outra parte depende da pesquisa de outro profissional. Com prazo e tarefas bem definidos, assim como uma comunicação facilitada, o trabalho de ambos é otimizado. Inspire-se em metodologias bem estabelecidas, como Agile, e acompanhe os resultados dessas medidas.

O que deve ser divulgado?

Cada negócio jurídico deve avaliar internamente o que deve ser divulgado, porque tudo dependerá de como a cultura organizacional foi implementada. Não adianta divulgar informações avulsas se o escritório nunca teve qualquer comportamento neste sentido. Então, é preciso se preparar para a Transparência Corporativa, como apontamos anteriormente, para depois divulgar as informações.

Dentre elas, você pode divulgar salários, planos de carreira, estrutura de capital do escritório (percentual que pertence aos funcionários, sócios e investidores) e outras informações que dizem respeito à administração.

É possível adotar o chamado gerenciamento de livro aberto. As pessoas querem se envolver na administração de um negócio, mas precisam ter uma ideia de como o negócio está indo. Por isso, é interessante abrir informações financeiras importantes, ensinar às pessoas como elas são criadas e como podem ser influenciadas. Por fim, deixar os interessados com a tarefa de encontrar maneiras de melhorá-las.

Divulgar os processos de tomada de decisão também é muito importante. As pessoas na organização deixarão de perder tempo questionando a tomada de decisões quando sabem os motivos pelos quais foram tomadas. Diga quem tomou a decisão e quem é responsável pelos resultados da decisão.

Você pode também pensar em uma transparência em relação ao público externo. Aqui, na Acordo Fechado, nossos números são importantes para um potencial cliente avaliar se a solução é adequada. Alguns números que divulgamos são:

  • Redução de custo de um escritório que utilizou a Acordo Fechado em todos os casos: R$ 680 mil em 1 ano (considerando 10 escritórios, R$ 7 milhões);
  • Horas poupadas de audiência para os advogados do réu e do autor, bem como para o Poder Judiciário: 10 mil horas;
  • Total de valores movimentados em acordos: R$ 105 milhões;
  • Locais dos processos tratados: todos os estados do Brasil;
  • Foram 36 mil defesas a menos na Justiça;
  • Tempo médio da negociação: 5 dias;
  • Quantos casos tratados: 180 mil;
  • Advogados cadastrado: 110 mil.

Como lidar com os questionamentos?

Sabe aquele dispositivo eletrônico barato que você comprou em um site chinês, mas, em seguida, descobriu que muitas empresas na China utilizam mão-de-obra infantil ou atentam contra a dignidade do trabalhador? Sabemos que a sensação é terrível, porque você passa a se sentir responsável por financiar tal situação. E quando falamos de transparência corporativa, a linha de raciocínio é bem semelhante.

Se seu negócio jurídico quer ser transparente, saiba que, além da responsabilidade em assumir o que está sendo dito, existem mais consequências. No exemplo que demos sobre a diferença salarial entre os advogados com mesmo tempo de escritório, aquele que ganha menos certamente questionará o gestor qual o motivo da diferença. Neste contexto, como lidar com os questionamentos que virão?

A Transparência Corporativa deve ser acompanhada de diálogo. Por isso, a melhor forma de lidar com os questionamentos é realizando reuniões periódicas (semanais, quinzenais ou mensais) para que líderes e profissionais troquem ideias e sugestões sobre os assuntos constantes nas informações divulgadas. Essas reuniões promovem confiança mútua e contribuem bastante para a produtividade no trabalho.

 

A Transparência Corporativa, quando adotada por uma empresa, é incorporada em todas as áreas, inclusive no Departamento Jurídico. E empresas de qualquer segmento, como telefonia, setor aéreo, planos de saúde, bancos, e-commerce, varejo e concessionárias de serviço público podem adotar essa diretriz para si.

Certo é que não há empresas perfeitas. Mas há busca por empresas confiáveis, que são transparentes em suas ações. Se você sabe o que divulgar e está preparado aos questionamentos, já pode começar!

 

Share
No Comments
Add Comment
Name*
Email*
Website